Tem 30 anos. Pós-graduado com Especialização em Assessoria de Imprensa pela Faculdade do Vale do Ipojuca, graduado em Comunicação Social pela Universidade Estadual da Paraíba.

Já atuou na Rádio São Domingos FM (Brejo da Madre de Deus) em 2007, na Rádio 101,9 FM (Santa Cruz do Capibaribe) de 2007-2008, na Estação Sat (Santa Cruz do Capibaribe) de 2008-2009 e atua até hoje na Rádio Vale AM. Onde desenvolve os trabalhos de produtor e apresentador do programa VALE MAIS.

Atualmente é o responsável pelo Blog do Melqui, assessor de imprensa do vereador Ronaldo Pacas, jornalista da Rádio Vale AM, diretor da Flipi Comunicação e assessor de imprensa da Secretaria Municipal de Assistência Social de Taquaritinga do Norte. Entre em contato pelo blogdomelqui@hotmail.com ou pelo flipicomunicacao@gmail.com.

Acompanhe o Melqui Lima



Mural

Melqui Lima
A Voz do Brasil presta um grande serviço à sociedade. Mas se você não quer deixar de ouvir a transmissão de mais de 1/3 dos jogos da Copa que acontecerão às 19h e quer mais informação de trânsito, música e entretenimento nesse horário, a voz do seu deputado precisa falar por você. Essa é a hora! O Brasil quer a flexibilização do horário da Voz do Brasil votada e aprovada. Particip...
Terça, 22 Abril 2014 17:35
Melqui Lima
Super Manhã - de segunda à ***ta, a partir das 8h da manhã. Tarde Livre - de segunda à ***ta das 14h às 16h. Participe pelos telefones 3731-4033 ou 9275-6290
Quarta, 12 Março 2014 16:44
Deixe o seu recado!

Unifavip condenada em R$20 mil por desvirtuamento de estágio‏

A pedido do Ministério Público do Trabalho (MPT) em Pernambuco, realizado por meio de ação civil pública (ACP), a justiça condenou a Junta Comercial do Estado de Pernambuco (Jucepe) e a Faculdade Unifavip Devry/Caruaru, por desvirtuamento de estágio. As instituições estão obrigadas, a adequar-se à lei de estágio e a pagar R$20 mil cada por dano moral coletivo.

 

Entre as irregularidades que motivaram o ajuizamento da ação, estão a contratação de estagiários para substituir mão de obra de servidor público, a não formalização de termos de compromisso entre os estudantes e Jucepe/Caruaru, bem como a inexistência de professor orientador de estágio não-obrigatório dos cursos de Direito e Administração pela instituição de ensino.

 

A Jucepe está obrigada a formalizar, em imediato, termos de compromisso de estágio não-obrigatório dos estudantes; enviar relatórios de atividades dos estagiários à Unifavip com periodicidade mínima de seis meses; indicar profissional com formação ou experiência na área de conhecimento desenvolvida no curso do estagiário para orientar e supervisionar o estudante e de abster-se de contratar estagiário para desempenhar atividades em substituição a servidor, especialmente havendo servidor concursado e não convocado. Caso descumpra, a entidade será multada em cinco mil por estagiário prejudicado por cada uma das violações.

 

Já a Unifavip, além de obrigada a formalizar, também em imediato, os termos de compromisso de estágio, deve avaliar as instalações das partes concedentes dos estágios destinados aos alunos da instituição; indicar professor orientador para os estágios não-obrigatórios; cobrar a entrega dos relatórios de atividades; bem como adequar as normas internas de estágio não-obrigatório ao que está previsto na lei de estágio. Em caso de descumprimento, a Unifavip será multada em três mil por estagiário prejudicado.

 

Entenda o caso

 

A partir de denúncia recebida pelo MPT em 23 de agosto de 2012, foi instaurado procedimento investigatório para apurar as supostas irregularidades. Em inspeção realizada por fiscal do Trabalho em maio de 2013, foi constatado que as atividades realizadas pelos estagiários da Jucepe eram próprias de assistente administrativo e que não havia supervisão de professor da Unifavip, caracterizando o descumprimento da lei de estágio (11.788/2008).

Após propostas de assinatura de termo de ajuste de conduta (TAC) junto ao MPT, negadas pelas entidades, e inspeção realizada em maio de 2015 pelo órgão, que verificou a continuidade das irregularidades, restou ao procurador ajuizar a ação.

 

“Ao contratar estagiário, a empresa estaria colaborando com as instituições de ensino na formação de melhores profissionais para concorrerem no mercado de trabalho, e não buscando reduzir custos pela sonegação de direitos trabalhistas e previdenciários, próprios de empregados”, explica o procurador.

 

Direito dos estagiários

 

A lei de estágio (11.788/2008) diz quais são direitos dos estudantes. Entre eles, está a existência de compatibilidade entre as atividades realizadas e aquelas previstas no termo de compromisso de estágio, bem como a jornada de quatro horas diárias e 20 semanais nos casos de estudantes de educação especial e dos anos finais do ensino fundamental, na modalidade profissional de educação de jovens e adultos; e de seis horas diárias e 30 semanais para os estudantes do ensino superior, da educação profissional de nível médio e do ensino médio regular.

 

Denúncias

 

É possível denunciar supostas irregularidades ao MPT pelo site www.prt6.mpt.mp.br, através de link de denúncia, ou ainda em qualquer de uma das unidades do órgão no estado (Recife, Caruaru e Petrolina), de 8h às 14h.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar